terça-feira, 25 de novembro de 2008

MOUSHI, O GATO DE ANNE FRANK





"Eu e a minha turma, acabámos de ler este livro de José Jorge Letria, um escritor da actualidade que escreve livros infanto-juvenis.
Gostei muito, porque é a história de uma menina que passou tempos muito difíceis, tendo conseguido atravessá-los graças à ajuda do gatinho Moushi e de um rapaz, por quem ela se apaixonara, o Peter. Anne Frank não poderia imaginar que o seu querido gatinho a amara tanto e sentira ciúmes, sempre que a via com o Peter. Quando Anne foi levada para o campo de concentração, Moushi sentira muitas saudades e acabou por morrer , pouco tempo depois, abandonado pelas ruas. No entanto, levara-a no seu pequeno coraçãozinho para sempre.
Esta história inspira-nos confiança e ensina-nos a importância dos amigos."
Carla Brito, 7ºA

" É uma obra muito interessante! Gostei principalmente da coragem que a Anne Frank teve, em aguentar dois anos fechada num sotão, sem ter liberdade e sem ver a luz do dia.
Gostei também do gato Moushi que tinha uma grande paixão pela Anne.
Nunca tinha lido uma história como esta e sinto tristeza por as coisas serem assim, no tempo da 2ª guerra mundial! "
Andreia Martins, 7ºA

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Entre Pilhas de Livros


Entre pilhas de livros para seleccionar, estava uma educadora e um jovem aluno do 5º ano.
- Professora, agora tem de me contar esta história... E mais esta e outra – pede o jovem
- Tens livros em casa? – Pergunta a educadora.
- Não.
- Mas lá em casa, contam-te histórias?
- Não.

Pois é... situações destas acontecem!
Há quem tenha livros em casa, mas não têm ninguém com quem partilhar leituras, reflexões, conversas… Na nossa BE/CRE isso acontece. Professores e alunos partilham esses momentos
e é muito bonito de se ver!
Aqui na Biblioteca, temos um tempinho para o Livro e um tempinho para Ti.
Até sempre
Mena

TEMPINHO DO LIVRO





Uma grande amiga, já há alguns anos, “apresentou-me” a colecção de contos tradicionais da escritora Alice Vieira.
A forma como esta escritora reconta estes contos, torna a sua leitura muito atractiva e faz nascer no leitor uma vontade de partilhá-los.
Reconheço pois, caro leitor, que contar um destes contos é sempre um prazer!
- Queres ouvir que eu conto?
Então, pode ser o “Desanda Cacete”. É um conto cheio de acção, magia, espionagem (estou a brincar!), mas é um conto muito bonito e “sempre a abrir” (desculpem a expressão).
Os alunos do 1º ciclo de Amoreiras Gare passaram por cá e apreciaram bastante o conto. Voltem sempre amiguinhos


Mena

terça-feira, 4 de novembro de 2008

A leitura na pintura de Renoir



"Ser criança é estar na luz, ler na luz, viver na luz"
Pierre -Auguste Renoir