sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Provérbios à nossa moda


Livro mole em testa dura, tanto bate até que fura
Quem semeia livros colhe leitores
Guarda que comer, não guardes que ler
Todos os caminhos vão dar a uma biblioteca
Ler não engorda
O livro proibido é o mais apetecido
Frio a valer, livro para aquecer
Ler cedo e cedo escrever dá saúde e faz crescer
Se conduzir não leia; espere até chegar a casa
Há mar e mar, há ler e pensar
A livro dado não se olha ao título
Quem lê por gosto não cansa
É leve o livro para quem gosta de ler
Ler e gostar, é só começar
Folha a folha enche o leitor o papo
O pior cego é aquele que não quer ler
Leitor que lê um livro, lê um cento
Não há livro sem leitor
A ocasião faz o leitor
Em terra de analfabetos, quem sabe ler é rei
Abril, leituras mil
Quem muito lê, muito acerta
Mais vale um livro na mão do que dois numa montra
Quem muito lê, sempre alcança
Quem se deita a ler, acorda renovado
De pequenino se lê um livrinho
Maria leitora livro que vê logo devora
Livro adquirido, sono perdido
Livros folheados, interesses renovados
Os livros são como as cerejas
De livro fechado, não sai letrado
Leitura é formosura

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Natal


A equipa da Biblioteca Escolar deseja a todos um Feliz Natal!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Fotos Fantásticas da nossa Feira









Esta foi mais uma oportunidade de levar um novo livro para ler em casa, oferecer ou simplesmente folhear...
A comunidade escolar afluiu, comprou e deu a sua opinião.
O nosso obrigado.

Cartaz da Feira do Livro

Este foi o cartaz seleccionado para publicitar a nossa Feira do Livro.
Parabéns ao André Ribeiro, nº7, da turma do 7º A!!!!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

"Aconteceu em Relíquias" já tem vencedor

O júri do concurso de escrita criativa "Aconteceu em Relíquias", constituído pelos professores Ana Balagueiras, Fernando Nascimento, Fernando Évora e Helena Godinho, agradece a colaboração de todos os participantes. Sublinha o elevado número de obras a concurso e, sobretudo, a qualidade das mesmas, o que tornou muito difícil a escolha da obra premiada.
Após análise detalhada de todos os textos, decidiu o júri atribuir o prémio à aluna Maria Inês Gonçalves, do 9ºA. No entanto, resolveu acrescentar a atribuição de uma menção honrosa à aluna Inês Guerreiro, do 9ºB. Esta decisão foi tomada por maioria.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

MOUSHI, O GATO DE ANNE FRANK





"Eu e a minha turma, acabámos de ler este livro de José Jorge Letria, um escritor da actualidade que escreve livros infanto-juvenis.
Gostei muito, porque é a história de uma menina que passou tempos muito difíceis, tendo conseguido atravessá-los graças à ajuda do gatinho Moushi e de um rapaz, por quem ela se apaixonara, o Peter. Anne Frank não poderia imaginar que o seu querido gatinho a amara tanto e sentira ciúmes, sempre que a via com o Peter. Quando Anne foi levada para o campo de concentração, Moushi sentira muitas saudades e acabou por morrer , pouco tempo depois, abandonado pelas ruas. No entanto, levara-a no seu pequeno coraçãozinho para sempre.
Esta história inspira-nos confiança e ensina-nos a importância dos amigos."
Carla Brito, 7ºA

" É uma obra muito interessante! Gostei principalmente da coragem que a Anne Frank teve, em aguentar dois anos fechada num sotão, sem ter liberdade e sem ver a luz do dia.
Gostei também do gato Moushi que tinha uma grande paixão pela Anne.
Nunca tinha lido uma história como esta e sinto tristeza por as coisas serem assim, no tempo da 2ª guerra mundial! "
Andreia Martins, 7ºA

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Entre Pilhas de Livros


Entre pilhas de livros para seleccionar, estava uma educadora e um jovem aluno do 5º ano.
- Professora, agora tem de me contar esta história... E mais esta e outra – pede o jovem
- Tens livros em casa? – Pergunta a educadora.
- Não.
- Mas lá em casa, contam-te histórias?
- Não.

Pois é... situações destas acontecem!
Há quem tenha livros em casa, mas não têm ninguém com quem partilhar leituras, reflexões, conversas… Na nossa BE/CRE isso acontece. Professores e alunos partilham esses momentos
e é muito bonito de se ver!
Aqui na Biblioteca, temos um tempinho para o Livro e um tempinho para Ti.
Até sempre
Mena

TEMPINHO DO LIVRO





Uma grande amiga, já há alguns anos, “apresentou-me” a colecção de contos tradicionais da escritora Alice Vieira.
A forma como esta escritora reconta estes contos, torna a sua leitura muito atractiva e faz nascer no leitor uma vontade de partilhá-los.
Reconheço pois, caro leitor, que contar um destes contos é sempre um prazer!
- Queres ouvir que eu conto?
Então, pode ser o “Desanda Cacete”. É um conto cheio de acção, magia, espionagem (estou a brincar!), mas é um conto muito bonito e “sempre a abrir” (desculpem a expressão).
Os alunos do 1º ciclo de Amoreiras Gare passaram por cá e apreciaram bastante o conto. Voltem sempre amiguinhos


Mena

terça-feira, 4 de novembro de 2008

A leitura na pintura de Renoir



"Ser criança é estar na luz, ler na luz, viver na luz"
Pierre -Auguste Renoir

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Um tempinho para o livro















No dia 24 de Outubro, os meninos da Escola J. I. de S. Martinho das Amoreiras tiveram um tempinho para ouvir a história tradicional "Pinto Borrachudo", na nossa biblioteca escolar. Este foi um momento de encantar e cantar!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

OS 10 DIREITOS DO LEITOR


Daniel Pennac, um dos grandes romancistas da actualidade francesa, escreveu o livro intitulado "Como um romance", que nos põe a pensar sobre a inapetência dos jovens de hoje para a leitura. Para o autor, LER não deve ser uma obrigação, mas um prazer desenvolvido, de preferência, desde muito cedo e "em voz alta".
Quanto ao "Direito de não ler", reservo-me o direito de pensar que o autor pretende dizer "Se não me apetecer ler agora, não leio…". É óbvio, que podemos fazê-lo quando nos apetecer.
Não ler, é ter horizontes muito limitados...

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

O livro que eu li...


Nas férias, eu li um livro que gostei muito. O título é Sonhos Mágicos e a autora chama-se Gwyneth Rees. A protagonista, Evie, é uma menina com cerca de oito anos. Um dia ela vai juntamente com os seus pais para a casa de avó, que foi internada no hospital. Nessa casa, quer a Evie, quer a sua avó, acreditam que existem algumas fadas.... aliás chegam mesmo a falar com elas... e ao longo da história "acontecem" algumas magias!
Será verdade? Será imaginação?
Procura ler este livro e tira tudo a limpo!


Catarina Pereira, 8ºB

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

O livro que li...


Olá, eu sou a Jéssica. Eu acabei de ler este livro: O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, de Jorge Amado. Eu tinha lido alguns excertos nas aulas de Língua Portuguesa e como tinha o livro em casa resolvi lê-lo todo. Eu achei o livro muito giro porque "explica" muito melhor a história. Só com a leitura dos excertos não dá para perceber tudo. Por exemplo, os excertos "pintavam" o Gato como sendo muito mau, mas afinal, depois de ler todo o livro, dá para perceber que ele não é assim tão mau. Este livro é giro porque todas as personagens são animais que vivem num parque ( a Vaca Moucha, o Sapo Cururu, o Gato Malhado, uma Andorinha, etc.). Nesta história um gato apaixonou-se por uma andorinha, mas essa relação não era bem vista pelos outros animais, devido à "lei das andorinhas". Este gato, coitado, não era assim tão mau mas todos os outros animais o temiam... quem era verdadeiramente má era a Cobra Cascavel.
Se quiseres saber mais sobre este divertido livro, terás que fazer como eu e lê-lo!
Jéssica Costa, 8º A

terça-feira, 21 de outubro de 2008

LER DOCE LER



















Numa das minhas deambulações pelas livrarias, chamou-me a atenção o título do livro "Ler Doce ler" com textos de José Jorge Letria e ilustrações de Rui Castro. Folhei e gostei bastante do que li. Tanto que achei ser oportuno falar-vos dele aqui.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Adágio

Quem não lê, mal fala, mal ouve,

mal vê.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Cadeirão para leitura


Tenha um momento de leitura confortável, a qualquer hora do dia ou em qualquer lugar da sua casa.

Para reflectir..





O livro que eu li...




Acabei de ler Uma Aventura no Egipto, de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada. Gostei de a ler pois fala de uma história com muito mistério. Aparecem muitas personagens, elas vão para um acampamento, no Egipto, e fazem escavações arqueológicas para descobrirem túmulos de faraós. Como sempre, algumas personagens não são muito simpáticas, é o caso do Gaspar que é cúmplice de alguns dos escavadores. Uma "fotógrafa" que se faz passar pela sua prima Rosalita, tira fotografias a túmulos, quando é surpreendida e feita prisioneira. Se quiseres saber o que fizeram o Pedro, a Luísa, a Teresa, o Chico e o João, para desvendar este mistério... lê esta emocionante aventura!!!

Ana Cristina, 8º B

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

16 de Outubro - Dia Mundial da Alimentação

A equipa da BE/CRE não podia deixar passar esta data sem este convite:

Venham "saborear" este livro do escritor francês, Jean-Marie Bourre, que nos apresenta informações sobre uma alimentação correcta, criativa e eficaz. Este livro delicia-nos pelo modo como o autor "cozinha" variados temas científicos, adicionando "ingredientes" quase poéticos.

Está disponível na nossa biblioteca.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Cartaz para a próxima Feira do Livro

És criativo(a)? Queres ser o(a) autor(a) do cartaz da próxima Feira do Livro que se vai realizar na nossa Escola? Gostarias de ver a tua "obra" espalhada por todas as freguesias?
Então este aviso é para ti! Mãos à obra e, sozinho ou com colegas, elabora esse cartaz.
Os alunos que participarem verão os seus trabalhos expostos na Biblioteca.
O cartaz será escolhido por toda a comunidade escolar (poderás votar na Biblioteca).
ATENÇÃO:
O cartaz deverá ser entregue na Biblioteca em formato A4, devidamente identificado, até ao dia 7 DE NOVEMBRO!!!
Data da Feira do Livro: 24 a 28 de Novembro de 2008
Local: Escola Básica Integrada de Colos

Curiosidades sobre os prémios Nobel



Dizem que as verdadeiras motivações para Alfred Nobel criar o prémio, deveram-se ao facto de um jornal sueco ter noticiado sua morte, quando na verdade quem tinha morrido fora um de seus irmãos. Nobel queria encontrar um meio de não ser esquecido, aquando de sua verdadeira morte.
Nos anos de 1938 a 1944, durante a Segunda Guerra Mundial, não houve laureados com o Nobel da Paz.
Da mesma forma, de 1914 a 1916, durante a Primeira Guerra Mundial, não houve atribuições do Prémio Nobel da Paz. Apenas em 1917, ainda durante a guerra, a Cruz Vermelha foi laureada, ficando 1918 também sem nomes candidatos ao prémio.
Dizem que não há um Nobel da Matemática, porque uma jovem terá recusado o pedido de casamento de Alfred Nobel, para casar com um matemático.
Em 1937, Hitler proibiu alemães de receberem o Prémio Nobel, porque este havido sido concedido a um jornalista anti-nazi, em 1935.Fonte: Revista
Morashá, Wikipédia e Google.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

E vão treze!


O último Prémio Nobel da literatura, Le Clézio, conforme aqui noticiado, é francês. Mas o primeiro laureado com este prémio, em 1901, também era francês. Chamava-se Sully Prudhomme e era poeta. Aliás, a França é o país com mais Prémios Nobel da Literatura: além de Prudhomme ganharam este importante prémio Frédéric Mistral, Romain Rolland, Anatole France, Henri Bergson, Roger Martin du Gard, André Gide, François Mauriac, Saint-John Perse, Albert Camus, Jean Paul Sartre, Claude Simon e, agora, Jean Marie Le Clézio. Dá um total de treze galardoados. É muito. O segundo país mais premiado são os Estados Unidos com 9, em terceiro lugar a Alemanha tem 7. De todos os prémios Nobel franceses permitam-me destacar os que mais gosto: Sartre e Camus. Particularmente o primeiro, pois sinto que aprendi muito com os seus livros. Curiosamente, Jean Paul Sartre foi o único galardoado que recusou o Prémio Nobel “porque nenhum escritor se deve transformar em instituição”.
A mim, não me surpreende que a França tenha ganho tantos prémios Nobel da literatura, pois se a sua língua é tão bela, tão harmoniosa, tão emocional. Uma delícia!
Julgo que encontrarão nestes treze prémios um belo motivo para se dedicarem com redobrado interesse ao estudo do Francês.

Que tal este blogue?


sábado, 11 de outubro de 2008

Félicitations pour le Nobel de la littérature!



A literatura francesa está de parabéns. Jean-Marie Gustave Le Clézio é o nome que se destaca na literatura contemporânea. Nascido a 13 de Abril de 1940 em Nice, no Sul de França, já publicou uma vasta obra: romances, contos, ensaios, novelas e algumas traduções de mitos e lendas originários dos povos indígenas das Américas. Num estilo clássico e requintado, conta-nos as viagens e os contactos com diferentes culturas, sobretudo da América Latina e de África.
Convido-vos a espreitar um dos seus livros editados em Portugal- O caçador de tesouros (editado pela Assírio & Alvim) e, confesso o único que li dele. Evoca o viajante incansável que percorre o mundo e, através da sua visão atenta, "vemos" também tudo o que o seu olhar apreende. Fascina-o o mar e sente o seu apelo irresistível, sente-se impelido pelas suas águas rebeldes e não consegue conceber a sua vida sem ele. O mar é ponto de partida de grandes descobertas...

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Ler é....




Os mais novos e não só… podem espreitar um dos livros infantis mais vendidos no mundo – “A Estrela de Laura” de Klaus Baumgart. A história é simples, mas fascinante, pois reacende uma “luz” imprescindível nas nossas vidas: o valor da amizade!
Vão adorar as fabulosas ilustrações e a estrelinha que cintila em todas as páginas.

Espreite este livro!



Vamos “espreitar” a comédia romântica de Anna Maxted – “Que bagunça!”?
Bagunça essa protagonizada por Helen, uma rapariga de 26 anos, que não se sente feliz com a sua vida, tanto a nível profissional como a nível pessoal. Helen trabalha como editora assistente na revista GirlTime, um emprego pouco promissor. O seu percurso é um caos: sucessivos falhanços amorosos; amigas quase “perfeitas”....até o seu gato Fatboy não ajuda a melhorar o estado das coisas, pois “molha” a sua gaveta de roupa interior com aquele ar desprendido e alegre dos felinos. E a sua vida tende a piorar…
Apesar das situações tão realistas, cosmopolitas e comuns, o livro apresenta-nos passagens repletas de humor.
“Que Bagunça” é um romance simultaneamente sóbrio e cómico. Na minha opinião, é um livro imperdível e um dos mais engraçados que li até hoje.